O destino maravilhoso dos livros

Uma vez ouvi a poeta Raquel Naveira falar no auditório da Livraria Martins Fontes em São Paulo. Ela falou do destino maravilhoso dos livros.

Ler resenha de Nove tiros em Chef Lidu que está no link indicado ao fim deste post confirmou que os livros seguem sem que o autor sobre eles tenha controle.

Imagino o trajeto do exemplar que alcançou Luiz Renato Souza Pinto e o Cidadão Cultura. O livro foi editado em 2014 e a resenha é escrita em 2019, depois de cinco anos.

Eu me identifiquei com a maneira como Luiz Renato leu a história e comentou o texto e a forma de contar.

Gostei muito de encontrar a imagem da Mona Lisa na resenha.

Penso muito na Mona Lisa.

Mera coincidência

Sobre Paula Bajer Fernandes

Sou escritora e moro em São Paulo. Além de livros publicados (na área jurídica e romances), além de contos, tenho dois blogs: Lolita e Nove tiros em Che Lidu. Criei o blog Lolita em 2009 para falar de imagens, lugares e escritos (http://lolitaimaginario.com). O blog Nove tiros em Chef Lidu (cheflidu.com) é um espaço sobre processos criativos e novelas policiais. Todo livro tem um outro lado, como as cenas que não entraram em um filme e ficam no DVD, entrevistas com atores e o diretor. Senti vontade de prosseguir um pouco no romance Nove tiros em Chef Lidu e aproveitei o lançamento em formato digital para começar o blog. O blog continuou. Sou autora de Viagem sentimental ao Japão (Rio de Janeiro, Apicuri, 2013), Asfalto (livro de contos em formato digital), Nove tiros em Chef Lidu (Editora Circuito, 2014 e e-galáxia, e-book) e Feliz aniversário, Sílvia (Editora Patuá, 2017). Em abril de 2016 publiquei o fanzine O mergulho, com textos e fotos minhas e direção de arte e ilustrações de Rodrigo Terra. Integro o Coletivo Martelinho de Ouro. Participei de cinco publicações do Martelinho: Achados e perdidos (RDG, 2013), 50 anos daquele 64, Serendpt (Livrus), publicados também em formato digital. Em novembro de 2015 foi publicado o fanzine Fancine. Sub, livro de contos do Martelinho sobre tudo que pode estar oculto, foi publicado pela Patuá no fim de 2016. A Editora Patuá publicou, no fim de 2017, Eu não sou aqui, do Martelinho. Tenho dois contos no livro. Em julho de 2018 o Martelinho publicou Sóis e sombras, fanzine distribuído da Casa do Desejo, na Flip, e na Balada Literária, em São Paulo.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

2 respostas para O destino maravilhoso dos livros

  1. Luiz Renato de Souza Pinto disse:

    Sem dúvida, Paula, o destino dos livros (físicos) são mistérios que os e-books não conseguem reproduzir, pois precisamos procurar por eles, dificilmente nos depararemos com uma estante virtual construída para além dos limites da distribuição física dos títulos.
    Maravilha de encontro; seguimos na construção de redes fortalecidas por escritores/leitores que leem os colegas e estabelecem trocas em que todos saem ganhando.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s